Empresa Júnior Mackenzie Consultoria

Blog

Com a diminuição da utilização de serviços presenciais devido à pandemia, o mercado comercial teve uma baixa muito grande, afetando diversos estabelecimentos, desde as menores até as maiores empresas do mercado. Algumas lojas, porém, vêm utilizando diversos métodos para se manter durante a quarentena, como é o caso da varejista Magazine Luiza.

A loja de varejo atingiu, em novembro de 2020, a marca de R$ 178.4 bilhões (Cento e setenta e oito bilhões e quatrocentos milhões de reais) em valor de mercado, e os ganhos líquidos da empresa foram de R$ 800 milhões ( Oitocentos milhões de reais) em junho de 2019 para R$ 5,8 bilhões (Cinco bilhões e oitocentos mil reais) em junho de 2020. Pode-se reconhecer tal crescimento a partir de diversas ações tomadas pela empresa principalmente no período de quarentena.

A varejista foi considerada a empresa que apresentou melhor imagem perante a crise e de acordo com estudo realizado pela ESPM Rio, ela ganhou essa imagem devido a sua grande preocupação que vai além de tentar apenas manter a loja aberta durante a quarentena, mas também a sua preocupação com seus funcionários e com problemas sociais.

Vínculo com o funcionário

Um fator que motivou o fortalecimento de sua imagem durante a pandemia foi a não demissão de seus funcionários. Em meio a uma época complicada em questões sanitárias e empregatícias, a varejista decidiu manter o seu quadro de funcionários que conta com mais de 20 mil pessoas. Criando ainda o movimento “Não demita”, influenciando outras empresas a também não demitir seus funcionários.

A Magazine Luiza tem um vínculo muito forte com seus funcionários, e além de não fazer um corte na folha salarial dos cargos de baixa hierarquia, a empresa reduziu o salário daqueles de alto escalão e dobraram o valor do auxílio-creche, que é dado a funcionárias com filhos até 10 anos que tiveram que trabalhar presencialmente. Por causa da intensificação do mercado virtual e a maior necessidade de entregar os produtos, os setores de logística e distribuição receberam, também, aumentos salariais.

Engajamento em pautas sociais

Além dos fatores internos da empresa, a Magazine Luiza está muito engajada com pautas sociais. Dessa forma, no começo de 2021 será implementado um programa de trainee para negros, promovendo uma diversidade racial dentro da empresa e assim podendo ter uma diversidade maior nos cargos de liderança. Além disso, a varejista também doou R$50 milhões ( Cinquenta milhões de reais) em produtos para a população de baixa renda e hospitais que estão na luta contra o Covid-19.

Mais um exemplo da preocupação da varejista com as causas sociais foi que em 2019, a Magazine Luiza colocou em seu aplicativo um botão secreto que pode ser usado para a denúncia de violência doméstica. Levando em consideração que a quarentena fez com que as pessoas ficassem mais tempo em casa, o número de denúncias por violência doméstica tende a aumentar. Então, para resolver este problema, a empresa fez mudanças no seu aplicativo, deixando o botão de denúncia mais parecido ao do carrinho, sendo assim mais difícil do abusador reconhecer o botão de denúncia.

Auxílio para pequenos empreendedores.

Com a baixa das vendas presenciais, muitos dos pequenos comércios tiveram de migrar para o âmbito digital. A fim de amenizar este problema, a Magazine Luiza criou o programa “Parceiro Magalu”, onde, de forma gratuita, pequenos empreendedores e autônomos podem vender seus produtos, ganhando apenas uma comissão em cima do valor total da compra. Atualmente este programa conta com mais de 30 mil usuários.

Mercado Digital

O sucesso da Magazine Luiza no mercado digital não é algo que vem a partir do começo da quarentena, pois mesmo antes da pandemia ela já tinha uma força muito grande neste meio. Tendo comprado grandes lojas virtuais como a Netshoes, que é muito forte no mercado esportivo, conseguiu transformar algumas dentre mais de mil lojas espalhadas pelo Brasil em pontos de recolhimento de produtos. Desse modo, quando o cliente compra um produto no site da Magazine Luiza ou algum de seus parceiros, ele tem a opção de pagar pelo frete para o produto ir diretamente a sua casa ou escolher retirar na unidade da Magazine Luiza mais próxima.

Um dos motivos do sucesso da Magazine Luiza no ano de 2020, foi a sua aposta no meio digital, que por causa da quarentena, teve um mercado físico restrito. Pela recomendação da reclusão das pessoas em casa, o mercado digital cresceu muito a partir de março de 2020. A empresa de Luiza Trajano aproveitou sua influência neste quesito e seus investimentos na inovação digital para aumentar suas vendas virtuais, principalmente no e-commerce e no omnichannel, uma ferramenta que liga diferentes canais de comunicação. Isso fez com que a empresa pudesse utilizar vários canais de comunicação diferentes.

Além de tentar se manter no mercado digital a partir do investimento no site, a loja criou uma maneira de humanizar a marca, criando a personagem Lu, em 2018. Porém, com a alta do aplicativo de vídeos Tik Tok, a empresa resolveu levar a personagem, também, às telas dos celulares para aproximar a marca dos jovens.

Superioridade à concorrência

Com a quarentena tendo afetado muito o mercado varejista, uma vez que a população tem evitado frequentar espaços de concentração de pessoas ou muito frequentados, a boa gestão que vem sendo feita na pandemia deixa a Magazine Luiza a frente de seus concorrentes, que não conseguiram se manter tão bem durante esse momento difícil, como a Ricardo Eletro que entrou em recuperação judicial no ano de 2020. Já a Via Varejo, dona de lojas como o Ponto Frio e a Casas Bahiateve uma troca de comando, o que dificulta a competição com a concorrência a seguir na mesma maneira, pois com a troca de gestão, o planejamento da Via Varejo foi praticamente reiniciado. Deixando a Magazine Luiza, novamente, em vantagem.

Conclusão

Em suma, o sucesso que a Magazine Luiza obteve ao longo de sua história, e principalmente durante a pandemia, é resultado de uma gestão muito bem-feita em todos os setores, pensando desde a classe mais baixa até a mais alta da empresa, tendo uma preocupação com o bem-estar dos funcionários e estando presente em diversas áreas da sociedade, assim se mantendo inteirada à parte externa da empresa e se engajando em movimentos sociais. Dessa forma, a empresa auxilia na resolução de problemas, como a pobreza e o combate ao Covid-19.

Autor: Júlio Martins Guilhermino da Silva


0 comentário

Deixe um comentário

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *