Empresa Júnior Mackenzie Consultoria

Blog

Adversidades são componentes corriqueiros na vida das pessoas e para superá-las é necessário muita resiliência e adaptabilidade para encontrar a melhor forma de contrariar a situação indesejada. Assim como no dia a dia das pessoas, as organizações passam por diversas dificuldades e é em meio a crises econômicas, políticas, sociais e sanitárias que o mercado encontra as maiores instabilidades, cabendo aos gestores analisar seus respectivos mercados e definir suas estratégias para superar estas adversidades da melhor maneira possível.  

Neste sentido, podemos estabelecer uma forte adversidade para todos os tipos de mercados. A atual Pandemia do Coronavírus que repentinamente pegou todos de surpresa, forçando o isolamento social, transformando hábitos, conceitos e atitudes não só das organizações como também das pessoas. Quando analisado o impacto da Covid-19 na economia foi estrondoso, dados do Banco Central apontam que o Produto Interno Bruto (PIB) nacional teve uma queda de 4,1% no ano de 2020. O cenário foi de incertezas devido ao fechamento dos comércios, causando a falência de diversas empresas e obrigando o desenvolvimento e inovação daquelas que se mantiveram. 

Perante a isso, somam-se às consequências da pandemia todas as adversidades particulares de cada mercado e resultam em um compilado de dificuldades que exigem boa administração e táticas para superá-las.

Setor automotivo

Dentre os mercados mais prejudicados em 2020 pela Covid-19, pode-se destacar o setor automotivo que caiu cerca de 26,1% segundo dados divulgados pela Federação Nacional Distribuição Veículos Automotores (Fenabrave), registrando o maior tombo anual desde 2015.

Durante o ano passado, 8 montadoras diferentes tiveram de suspender suas atividades, por conta de diversos empecilhos, sendo o risco à saúde dos funcionários uma das demais preocupações. Como sabemos os impactos econômicos da pandemia foram muito profundos também, assim causando um desabastecimento de peças na indústria automotiva, reduzindo drasticamente a demanda pelos automóveis e impactando diretamente a confiança dos novos consumidores para fazer investimento em bens de alto valor.

Contudo, as montadoras assim como qualquer outro tipo de organização tiveram de se reinventar e buscar superar estes desafios para não declarar falência durante a crise.

Deste modo, foram analisados os perfis dos novos consumidores, que cada vez mais utilizam a internet como veículo de compra e venda de automóveis, digitalizando bastante este processo. Esta evolução digital além de reduzir os custos das concessionárias, agiliza grande parte destes processos e personaliza ainda mais a experiência. Assim as empresas devem investir nessas tecnologias para se atualizar e conectar com seu público.

Outra adversidade relacionada a atualização do mercado automotivo modernização dos veículos, tendo em vista que grande parte do público atualmente vem optando por automóveis de fácil locomoção que não prejudiquem o meio ambiente, como os carros elétricos. Deste modo, os engenheiros devem se atentar a temas que mostrem um equilíbrio maior entre a ecologia e a economia para atingir uma satisfação dos clientes.

Setor alimentício

O setor alimentício foi outro que sofreu grande impacto com as medidas restritivas da Pandemia, visto que em vários períodos da quarentena os bares e restaurantes tiveram que fechar as portas. De acordo com a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), fecharam cerca de 12 mil bares e restaurantes na cidade de São Paulo e 3 mil na cidade do Rio de Janeiro. A única alternativa para os estabelecimentos restantes foi o método de entrega em domicílio, conhecido como delivery.

Popularizado com a entrega de pizzas, o setor de delivery vem crescendo e se modernizando cada vez mais. Esse método de consumo funcionava inicialmente com pedidos feitos por ligação no próprio estabelecimento. Hoje em dia é possível resolver tudo por aplicativos que dão a possibilidade de escolher diversidade entre comida, preço e localização, além de poder acompanhar todo o trajeto do motorista até a sua casa.

Nesse mercado, uma das empresas que mais fatura é o Ifood, criado em 2011 tem como seus principais concorrentes a Uber Eats e a Rappi criados respectivamente em 2014 e 2015. Dados comprovam que o Ifood no ano de 2020 aumentou 63,3%, chegando a 60 milhões de reais faturados. Isso devido ao isolamento social, período em que os pedidos quase triplicaram na plataforma.  

No entanto, existem diversas adversidades que dificultam diariamente o trabalho dos funcionários de aplicativo e a eficiência do serviço. Em julho de 2020 alguns motoristas do Ifood se reuniram na Avenida Paulista para manifestar a excessiva carga horária de trabalho e seus baixos salários. Além disso, alguns empecilhos diários como tempo de entrega, acidentes de trânsito e golpes virtuais causam transtornos para os funcionários e clientes dos aplicativos.  

Sendo assim, é importante para os profissionais do setor estarem sempre atentos aos avanços da tecnologia a fim de trazer ao cliente a possibilidade de ter em casa uma experiência semelhante a aquela que teria ao consumir no ambiente presencial.

Agronegócio

Atualmente o agronegócio representa grande parte da economia brasileira, sendo ele o principal mercado de atuação no país. No último ano o agronegócio cresceu 2,0% fechando 2020 com recorde de 24,3% de representatividade no Produto Interno Bruto (PIB) total do Brasil, segundo o Comunicado Técnico da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), tendo como principais produtos a cana de açúcar, o café, a soja e a carne bovina, por exemplo.

No entanto, mesmo sendo o principal mercado em atividade no Brasil, o agronegócio possui uma série de adversidades externas que afetam gravemente seus resultados. Segundo o presidente da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Maurício Antônio Lopes, cada vez mais devemos estudar novas tecnologias para tomar decisões mais assertivas, evitando possíveis perdas.

Dentre as diversas dificuldades deste mercado podem-se destacar duas mais relevantes, a primeira delas é um fator gerado pelas repentinas mudanças climáticas, que estão ocorrendo com cada vez mais frequência devido ao aquecimento global. Deste modo, com a instabilidade do clima as lavouras sofrem perdas massivas por alterações climáticas inesperadas, seja uma queda baixa das temperaturas ou até mesmo fortes tempestades de vento por exemplo. O resultado foi a necessidade de investimento em tecnologias meteorológicas de qualidade para não surpreender negativamente os produtores.

A segunda adversidade é uma preocupação para o futuro. Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU) 70% da água do planeta tem seu destino a irrigação das plantações e o cultivo de gado, sendo assim um recurso indispensável para a produção agrícola. Deste modo, os produtores devem cada vez mais se preocupar com este tema, incorporando em sua rotina técnicas de preservação e o uso consciente de água.

Setor Farmacêutico

Em contradição a todos os outros setores citados, o mercado farmacêutico foi um dos únicos que não sofreu consequências negativas com a pandemia do Coronavírus, mantendo-se um dos mercados mais promissores e em ascensão. Mesmo com a crise sanitária, de acordo com o Global Pharma Study a reputação das 14 maiores empresas globais do segmento manteve-se ou avançou seu patamar.  

Mesmo assim, algumas problemáticas comuns no setor farmacêutico brasileiro estão relacionadas à indústria de genéricos. Pois com o crescimento dos custos de produção e consequentemente a queda das margens, é necessário que as indústrias reduzam os descontos concedidos nos medicamentos.

Além disso, outro desafio encontrado na distribuição de medicamentos está relacionado aos pedidos na justiça de pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) e beneficiários de planos privados para terem acesso a medicamentos de maior custo que ainda não são oferecidos pelas unidades de saúde.

Superando as adversidades

Diante do que foi apresentado e levando em consideração o contexto atual pode-se concluir que as adversidades surgem de mudanças brutas na sociedade, como foi o caso da Pandemia do Covid-19. Além disso, cabe destacar que vivemos em um mundo onde as mudanças ocorrem de maneira extremamente acelerada, moldando os mercados para formatos mais acessíveis, práticos e rápidos, fazendo com que as corporações se adaptem para esta época digital. 

Cada mercado, independentemente de seu setor, possui algum tipo de adversidade, seja ela física como mudanças climáticas que afetam o agronegócio, virtual como a necessidade de se digitalizar do setor automotivo, pessoal como os problemas de mão de obra encontrados no delivery e até mesmo gerencial como a distribuição de medicamentos do setor farmacêutico.

No entanto, é em meio a estes desafios que surgem grandes ideias, tendo o AIRBNB do setor imobiliário como um ótimo exemplo. Em 2008 com a crise econômica mundial muitas pessoas tiveram de repensar seus consumos, assim se aproveitando das novas tecnologias e das redes sociais da época, os criadores elaboraram um aplicativo para criar um mercado comunitário de compra, venda e aluguel de imóveis. Atualmente a empresa vale em torno de 26 bilhões de dólares, mostrando assim como é possível superar uma grande adversidade e inovar para obter sucesso.

Sabendo destas diferentes adversidades a Empresa Junior Mackenzie Consultoria, que está a mais de 30 anos realizando diversos projetos, convida a você para conhecer nossos serviços de consultoria empresarial que possuem o objetivo de ajudar os clientes a superar seus desafios e solucionar seus problemas, realizando seus sonhos. Caso esteja buscando suporte nas decisões, novas estratégias e serviços de ótima qualidade com um preço mais modesto que cabe no seu bolso, entre em contato com a gente pelo nosso site https://jrmack.com.br e aproveite. 

Autores: Eduardo Rodrigues e Marina Landim


0 comentário

Deixe um comentário

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *