Empresa Júnior Mackenzie Consultoria

Blog

A Autossustentabilidade é um conceito que diz respeito a exploração de recursos naturais de forma não predatória, reduzindo danos ao ecossistema/biodiversidade e respeitando o ciclo de recomposição dos recursos renováveis. Ou seja, a execução de projetos que causem o mínimo de impacto sobre o local, e com o objetivo de oferecer retorno suficiente para sustentar os envolvidos, sem explorar a mão de obra. Sendo muito positivo, para o atual cenário brasileiro em que 90% dos municípios enfrentam problemas ambientais, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Quando uma empresa ou projeto segue essas características, ela pode ser considerada autossustentável. Assim, as atividades realizadas se mantêm sem a necessidade de outros recursos. Porém, essa prática ainda é pouco aplicada no mercado, pelo fato de depender de recursos não renováveis, podendo gerar o assolamento de tal matéria-prima. Até mesmo os projetos que envolvem recursos renováveis correm risco, se não forem feitos com consciência.

Mesmo pesquisas apontando que 87% dos consumidores brasileiros preferem comprar de empresas sustentáveis (Sistema FIEP), outras apontam que menos de 40% dessas empresas possuem ações sustentáveis concretas (G1-Globo).

Dessa forma, é possível concluir que apesar de pequenas empresas terem uma grande participação tanto na geração de renda quanto em empregos, elas ainda podem encontrar obstáculos quando o assunto é Autossustentabilidade, deixando o protagonismo com as multinacionais. Os possíveis obstáculos encontrados para as pequenas empresas se tornarem autossustentáveis, são: Pouco conhecimento sobre o tema, baixa profissionalização dos administradores envolvidos, modelos de gestão hierárquicos/patriarcais que dificultam tal transformação, estrutura escassa e pouco apoio governamental quando o assunto é Autossustentabilidade, e a falta de integração entre empresas, governo e movimentos socioambientais, como facilitadores.

Já as vantagens encontradas são: Diminuição no consumo de energia e água por parte das empresas autossustentáveis, menor utilização de materiais, recursos humanos e engajamento dos funcionários com a causa, melhor visibilidade e reputação da marca. Além da melhora no desempenho da responsabilidade social corporativa e no relacionamento com clientes, fornecedores e comunidade.

O Desenvolvimento Sustentável é o desenvolvimento apto a suprir as necessidades da geração atual, sem comprometer a capacidade de suprir as necessidades das próximas gerações. Ou seja, é aquele que assegura o crescimento econômico, sem liquidar os recursos destinados ao futuro. Tendo como princípios o desenvolvimento econômico/social e a conservação ambiental.

Em meio a esse raciocínio, em 2015 a ODS (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável) definiu objetivos do desenvolvimento sustentável para orientar as políticas nacionais e atividades de cooperação internacional até 2030, abrangendo diversos países – incluindo o Brasil – que criou uma agenda Pós-2015 para articular e orientar as atividades a serem desenvolvidas. Os principais objetivos foram:

Fonte: https://blog.waycarbon.com/2015/10/conheca-os-17-objetivos-do-desenvolvimento-sustentavel-da-onu/

Empreendedorismo sustentável

Atualmente existem diversas formas e momentos para praticar o empreendedorismo. Em nosso blog explicamos o contexto adequado na publicação Idade certa para empreender. De acordo com a mesma: “O que devemos levar em consideração é a vontade e responsabilidade de fazer acontecer, onde a imaginação não tem limites”.

É aí que se encaixa o conceito de empreendedorismo sustentável, que se alinha totalmente com a empresa autossustentável. Apresentando-se como uma das diversas modalidades de negócio, o “empreendedorismo orientado à sustentabilidade” é a combinação de lucro com uma desenvoltura responsável não só do meio ambiente, como também do meio social.

Ou seja, basicamente é a junção que de três importantes aspectos: Meio Ambiente, Economia e Sociedade. A empresa irá ofertar seus serviços/produtos com o objetivo de causar o menor impacto possível para essas três áreas.

Mas, por que adotar isso para o meu negócio? O mercado moderno evidencia maiores preocupações com questões ligadas à natureza e à saúde. De acordo com uma pesquisa feita pela Toluna (empresa voltada à estudos com o consumidor), em parceria com a FGV (Fundação Getúlio Vargas), 75% das pessoas mudaram seus hábitos de consumo devido a questões sustentáveis e de bem-estar. A análise foi feita em 2019 e contou com 1034 participantes.

Ademais, todos os envolvidos saem ganhando. Isso porque, além de reconhecimento no mercado e prospecção de novos clientes, o efeito é positivo nos componentes organizacionais e no meio ambiente. Ser empreendedor sustentável hoje é sinônimo de inovação, sucesso empresarial e comprometimento dos funcionários, visto que eles se sentem parte de um todo que luta pelo desenvolvimento ambiental e social do local que atuam.

Existem vários exemplos de empresas que obtiveram êxito nesse segmento. A Natura é uma empresa de grande destaque quando o assunto é preocupação socioambiental. Produzindo produtos de beleza alinhados a estratégias conservacionistas e conscientes, a empresa passa a ideia de crescimento em harmonia com a natureza, o que gerou mais engajamento e respeito dos clientes pela marca. O diferencial aqui foi criar linhas como a “Natura Ekos”, que promoveu o uso da biodiversidade brasileira e o aproveitamento racional de recursos.

Fonte: https://cosmeticinnovation.com.br/natura-e-reconhecida-como-a-15a-empresa-mais-sustentavel-do-mundo/

Insecta Shoes, fundada em 2014 em Porto Alegre (RS), é outra organização que trabalha com produção ecológica. A fabricação de sapatos ecológicos e veganos é o que distingue suas atividades empresariais no mercado, visto que, de acordo com o site da loja, em 2015 foram faturados R$1.000.000,00 (um milhão de reais) e mais de 630 quilos de tecido foram reaproveitados. A partir daí a sua visibilidade e os lucros anuais aumentaram.

Em um cenário multinacional, a Nestlé, grande empresa do ramo alimentício, modificou seus processos produtivos utilizando fontes renováveis de energia e neutralizando emissões significativas de carbono. Isso ocorreu através de vários projetos ecológicos que visavam diminuir a quantidade de resíduos tóxicos na natureza. Destacam-se também dois programas de iniciativa social que se tornaram um diferencial na empresa, os quais são Programa de Desenvolvimento da Pecuária Leiteira e Programa Nestlé Faz Bem Nutrir. Ambos promoveram inovações tecnológicas e conhecimentos de importância social.

Como estabelecer o empreendedorismo sustentável?

Para aplicar esse tipo de negócio não basta apenas seguir teoricamente o conceito de Autossustentabilidade. De acordo com Leonard Schelesinger, professor da Fundação Baker na Harvard Business School, é importante “fazer com que novos empreendedores tenham o ímpeto de “gastar” o tempo necessário para serem educados para as chances que estão surgindo” (entrevista feita pela Revista Ideia Sustentável em 2011). Então, o que deve ser feito é:

1. Avaliar sua missão e criar estratégias sustentáveis

Basicamente, avaliar a missão da empresa é o começo de uma transformação importante. A missão descreve o foco da ação e diz muito sobre a atuação no mercado. Por isso, torná-la mais sustentável cria um reconhecimento e aumenta a prospecção de novos clientes. Consequentemente, as estratégias da empresa também sofrem modificações, possibilitando um realinhamento da organização e planejamentos específicos para, simultaneamente, gerar mais lucro e produtividade.

2. Impulsionar capital humano

Como já sabemos, essa forma de empreender atua no meio social, com isso pode ser promovido na empresa um ambiente colaborativo. Ou seja, uma cultura organizacional que incentive os funcionários a se desenvolverem continuamente e a apresentarem suas ideias e sugestões para a empresa. Desenvolver capital humano é um dos componentes construídos pela sustentabilidade e responsável por dar um boost no comprometimento e na confiança dos colaboradores.

3. Praticar processos ecologicamente corretos

É necessário colocar em prática processos que diminuam o impacto negativo no meio ambiente e no meio social. Não são necessariamente ações de grande porte, já que pequenas atitudes diárias podem fazer muita diferença no futuro. Reduzir a quantidade de lixo, o consumo de energia elétrica e, principalmente, desperdícios nos processos produtivos são exemplos de mudanças duradouras. É importante rever as atividades feitas dentro da empresa e investir em práticas sustentáveis que possam ajudar tanto a natureza quanto a área financeira da organização.

4. Promover uma consciência coletiva

O início prático de ações sustentáveis pode ser difícil, devido a necessidade de modificações operacionais dentro da empresa. Com isso, reunir os funcionários para explicar o conceito e divulgar as transformações que irão ocorrer torna-se promoção de uma consciência coletiva. Isso irá motivá-los e facilitará a implementação de práticas ecológicas. Um exemplo básico é o oferecimento de canecas personalizadas para evitar o uso de copos descartáveis. Qualquer ação que envolva todos os indivíduos presentes na empresa, tanto colaboradores quanto gestores, será uma forma de espalhar a conscientização provocada pela sustentabilidade.

5. Trabalhar com o seu consumidor

Agir externamente também é válido para auxiliar o empreendimento sustentável. Conversar com os clientes sobre quais produtos estão sendo mais comercializados ou pedir sugestões de ações benéficas, ao meio ambiente e social, é importante para a empresa cortar custos, entre outras coisas. Essas ações não vão deixar de satisfazer a maior parte dos consumidores, contudo, podem auxiliar na prevenção de desperdícios e, até mesmo, a criar linhas de produtos ecológicos. Dialogar com seus consumidores ajuda, sobretudo, na identificação da marca.

Alinhado totalmente à ideia da empresa autossustentável, o empreendedorismo orientado à sustentabilidade representa a construção de novos hábitos em longo prazo. As ações ecológicas podem parecer pequenas, mas provocam transformações de grande impacto se praticadas por todos da empresa.

Além de ganhar visibilidade e melhorar seus processos produtivos, com um negócio autossustentável você gerará mudanças em áreas muito maiores. A Autossustentabilidade se revela como uma causa mundial pautada com frequência. Portanto, é fundamental que essa cultura organizacional se faça presente em antigos e novos empreendimentos. Vamos transformar positivamente as atividades empresariais.


0 comentário

Deixe um comentário

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *