Empresa Júnior Mackenzie Consultoria

Blog

Quando uma organização pretende atingir máximo êxito sobre as metas e objetivos estipulados, ela precisa determinar, estrategicamente, uma gestão de pessoas eficientes e bem estruturada para favorecer um clima de trabalho agradável ao alto desempenho empresarial. É neste cenário, que a ferramenta de análise e descrição de cargos se estabelece. Este projeto talvez pareça mera formalidade em uma empresa, mas tem grande importância na administração humana do negócio.

A descrição de cargos é um processo que detalha todas as posições dentro de uma organização. Basicamente, é um registro escrito que serve para formalizar as atribuições dos cargos existentes em uma empresa. Esta ferramenta deve ser dinâmica, com possibilidade de revisão, para que contemple a mudança das necessidades de uma companhia.

Qual a diferença entre análise e descrição de cargos e funções?

A análise de cargos compara as atividades dos cargos com as responsabilidades necessárias para que um colaborador seja capaz de desempenhar as funções exigidas. Ou seja, essa atividade refere-se as atribuições importantes para que o profissional ocupe determinado cargo.

De certa forma, a descrição de cargo tem como foco, o que deverá ser realizado no mesmo, quando as atividades devem ser feitas, como desempenhá-las, por qual motivo fazê-las, qual é o grau de instrução necessário etc. Já a análise de cargo, visa avaliar e apontar quais são os aspectos qualitativos, habilidades e condições exigidas por ele. Através dela, são levados em conta os elementos operacionais e os fatores estratégicos para, assim, a empresa compará-los.

Apesar das distinções, os dois métodos podem se complementar e promover um bom funcionamento da empresa. A EJMC, por exemplo, realiza a junção e execução dessa ferramenta, permitindo que tudo fique mais organizado e transparente para os envolvidos.

De certa forma, as necessidades básicas de recursos humanos para a organização, seja em quantidade ou em qualidade, são apontadas e esclarecidas, deixando os colaboradores mais participativos e possibilitando um ambiente bem construído e saudável.

Qual a diferença entre cargo e função?

Antes mesmo de entender as aplicações da análise e descrição de cargos e funções, é importante entender a dissemelhança existente entre esses dois conceitos. Cargo é o nome que se dá a posição que uma pessoa ocupa dentro da empresa. Função é o conjunto de tarefas e responsabilidades relacionadas a esse cargo.

Quais são as vantagens da ferramenta?

Em resumo, pode-se afirmar que, com a análise e descrição de cargos, uma empresa consegue:

  • Realizar Recrutamento e Seleção mais assertivos;
  • Mapear as competências dos colaboradores;
  • Realizar avaliações de desempenho;
  • Promover o treinamento e desenvolvimento dos seus profissionais;
  • Uma gestão mais clara, organizada e transparente;
  • Direcionar treinamentos com mais assertividade;
  • Gerenciar planos de desenvolvimento individual;
  • Oferecer remunerações justas;
  • Aumentar a produtividade das equipes;
  • Contratar um colaborador com habilidades e atribuições capazes de manter a alta performance da equipe;
  • Promover o crescimento e alcance de resultados cada vez melhores;
  • Realizar a promoção de um colaborador de acordo com as responsabilidades necessárias para o cargo;
  • Realizar contratações de forma estratégica;
  • Nortear as ações do gestor;
  • Fazer com que todos os níveis hierárquicos conheçam as funções de cada cargo.

É perceptível que as vantagens são inúmeras, visto que a sua maior contribuição é o bom desenvolvimento do processo de recrutar e selecionar funcionários, dando apoio para uma possível administração de salários e facilitando o entendimento de cada cargo que compõe o organograma da empresa.

Quais são as aplicações da análise e descrição de cargos e funções?

Esta ferramenta além de ser aplicada no ambiente interno e nas atividades dos colaboradores, incluindo as contratações e demissões, pode atuar também nas seguintes atividades da empresa:

  • Recrutamento e seleção: a descrição e análise de cargos e funções ajuda o recrutador a entender qual cargo está mais necessitado, suas obrigações e principais atividades, para assim escolher o candidato com o perfil que melhor se encaixa com as necessidades da função, tudo isso através das competências requeridas;
  • Auditoria: A descrição de cargos é um documento básico para conseguir normas técnicas específicas (selos e certificados, por exemplo), servindo como base para outras normativas. Já a análise irá servir para entender quais as melhores autenticações e seus efeitos na organização.

É importante salientar que diversos processos da empresa, especialmente aqueles ligados ao setor de recursos humanos, dependem dessa ferramenta. É preciso descrever e analisar os cargos para se conhecer seu conteúdo e especificações, sendo possível administrar o capital humano aplicado. Esse método é ainda mais importante em tempos de crise, que exigem uma gestão segura e adaptável para a empresa não correr riscos.

Qual a estrutura de uma descrição de cargos e funções?

A descrição de cargos e funções é baseada em oito pontos fundamentais, os quais são:

– Identificação: Esse primeiro ponto consiste no cargo, ou seja, deve ser bem objetivo com o nome completo e preenchido da forma correta.

– Organograma: Esquema que define a hierarquia dos cargos dentro de uma organização. Detalha os superiores, subordinados e quem obedece determinados indivíduos.

– Missão do Cargo: O terceiro ponto, define o principal objetivo do cargo, trazendo uma breve descrição para explicar o porque dele e qual sua abrangência.

– Atividades do Cargo: O que fazer para atingir certa missão. Caracteriza todas as atividades que devem ser desempenhadas, mas também, as recriminadas.

– Experiência: Aborda a vivência profissional para determinado cargo, podendo ser escrita em relação aos anos de mercado ou tipo de trabalho desempenhado.

– Formação Acadêmica: Qual a instrução para assumir o cargo, como por exemplo, se precisa de faculdade, pós-graduação e etc.

– Competências: Quais as principais atividades para atuar no cargo, sendo técnicas ou relacionadas ao comportamento do indivíduo.

– Treinamentos exigidos: Explica se o cargo precisa de alguma preparação obrigatória e qual deve ser ela, sendo que os treinamentos podem ser feitos antes do indivíduo assumir a posição ou durante a sua admissão.

Quais as etapas do processo da análise de cargos e funções?

Esse processo é composto por seis etapas que considera a organização em dinâmica mudança. Isso, deve-se ao fato de que os cargos devem ser constantemente descritos, analisados e atualizados, com o intuito de acompanhar as transformações da organização. As etapas são, respectivamente:

– Análise e estruturação da empresa, como um todo, para definir quais são as informações requeridas, selecionar as posições envolvidas e por último, preparar as descrições e especificações de cargos.

– Entrevista de Descrição e Análise de cargos, ou seja, para entender o tempo do indivíduo na empresa, sua função atual, a anterior e entre outros dados.

– Descrição do Cargo, explica – separadamente – cada uma das tarefas diárias, repetidas com frequência.

– Definição da ordem de importância das tarefas realizadas, como por exemplo, manter uma boa postura, ser cordial, estar atento as dúvidas e etc.

– Especificações do Cargo, informações como as qualificações necessárias, requisitos, responsabilidades e ambiente.

Dicas para um bom uso da ferramenta

Uma boa dica para fazer um bom uso dessa ferramenta, é procurar empresas de consultoria para auxiliar melhor nas tomadas de decisão e como implementar em seu negócio/empresa. O ponto positivo desse mercado é que ele engloba desde empresas seniores até juniores, o que pode ser uma boa opção para o consumidor que procura valores mais interessantes e uma ótima qualidade.

Um exemplo é a Empresa Junior Mackenzie Consultoria, consolidada no mercado a mais de 30 anos, realizando projetos de alto nível para todos os tipos de público.

Dica extra: Erros a serem evitados

Adendo ao que foi dito antes, uma outra dica interessante é em relação aos erros a serem evitados. Entre eles, os principais são:

– Uso de terminologia interna: Todas as organizações existentes possuem uma terminologia particular, sendo elas siglas, abreviações e entre outras coisas voltadas aos associados. Porém, existe uma grande possibilidade de o mercado não entender algumas definições, podendo trazer empecilhos para o negócio. Sendo assim, é indicado que as empresas usem um vocabulário universal e que todos possam entender.

– Não envolvimento de todos os setores responsáveis: Para criar ou aprimorar uma descrição de cargos, é fundamental que todas as áreas da empresa estejam conectadas entre si e envolvidas no projeto. Isso porque, como o objetivo é aumentar a exatidão das especificações, é muito importante que toda empresa participe.

– Não ser realista e usar linguagem de discriminação: Ser realista é fundamental para implementar essa tarefa de gestão, tudo deve ser descrito com a maior clareza e objetividade. Adendo a isso, os profissionais devem ter bastante cuidado para formar os textos desse projeto, pois certos termos podem parecer discriminatórios, ignorando e ofendendo parte dos associados. Desse modo, a Lei 9.029, que diz que todo acesso a relação trabalhista ou manutenção da mesma, deve se valer apenas de requisitos técnicos para admissão ou não de candidatos, tem que ser considerada. Caso contrário, pode haver alguma interpretação de preconceito.

– Não revisar regularmente: Todos os projetos voltados ao planejamento organizacional das empresas necessitam de uma revisão periódica, e no caso da descrição de cargos, isso não é diferente. Ao analisar a situação, falhas podem ser percebidas, assim novas habilidades podem ser inclusas, retiradas ou trocadas para aprimorar e garantir a eficiência do processo.


0 comentário

Deixe um comentário

Avatar placeholder

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *